Dedicado

A Fábula de Bolama

Em memória do meu irmão que partiu....
 
QUANDO NO VAZIO DA VIDA
ME CONTASTE AS TUAS MÁGOAS
SÓ SENTI
EM MEU CORPO
E NAS VEIAS ARDENDO 
O CALOR TÓRRIDO 
DE TUAS ENCOSTAS 
CASTIGADAS PELA MARESIA SALINA 
DOS TEUS SELETOS BEIJOS
E NUMA ÂNSIA PLENA
CONTIGO FICO INSUSPEITO
NAS MINHAS FÁBULAS E DESEJOS
CANTAROLANDO FELIZ 
A IMENSA PAZ
DA MINHA ALMA VADIA REENCONTRADA

Mariana

Mariana andava

Andava pela rua

Mariana olhava

Olhinhos de lua

Mariana sorria

Linda e toda nua

Seus olhos viam o presente

Seus ouvidos, ouviam o passado

Era sempre sorridente e amava frango assado.

Poema a Lisboa

Paixão ardente, comoção interior,

Sol nascente , que nasce para esta gente estarei eu doente de amor?

Em verso repetido, pela cidade que tem vida, e é boa,

Por cada beijo perdido, um mais sentido pede-me Lisboa.

 

Pulsação que transcende, valor e cultura,

Em cada olhar presente ou em qualquer rua.

Cidade que para o Mundo foi porto de abrigo

Lisboa onde eu for , Lisboa vem comigo.

 

 

 

 

 

Amigo Fernandes

Amigo Fernandes

Amigo Fernandes, transportas dentro de ti a humildade dos bons, dos homens que caminham descalços ao lado dos que sofrem, seguras a mão dos que precisam de força para viver, alimentas a alma dos que precisam de comer para sonhar.

Quando te vejo ao longe a sorrir no meio dos que sofrem sei que a tua vida está repleta de amor, de coragem e vontade de viver.

Pages