Surrealista

Largo dali

Passou mais um dia onde até de tempo são feitas as lendas
A mais um padeiro que de manhã faz notáveis merendas
Mais um dia ao lado do nada que fica no largo dali.
 
Nesse nada de largo com casas sem tormentas
O cuco falso do relógio dá na parede umas horas lentas
A mais um relojoeiro que perdeu um parafuso pois vive no largo dali.
 
Passou mais um dia ao lado do nada que fica no largo dali
Já sem espera, sem gosto e desgosto, sem queixume ou ardume

Acho

Ele: 

-Se eu tivesse a oportunidade de te conhecer quando  tavas bem, e tu a mim, fazia de ti a mulher mais feliz do mundo, não tenhas dúvidas.

Ela:

-Que querido. Mas é fácil falar.

Ele:

-Para alguns sim. Quando tratas alguem como opção é de facto difícil, mas quando existe uma sintonia de escolha torna-se tudo mais fácil.

Ela:

-Acho que não mereço isso.

Ele :

-Achas que não mereces ser amada?

Ela:

-Acho.

 

A IMPIEDADE

A IMPIEDADE

Num bairro simples na periferia da Capital Vitória-ES, mora uma família humilde, simples e temente a Deus.

O casal já está na terceira idade, um pouco cansados com tantos obstáculos que a vida lhes proporcionou. 

Há vinte e quatro anos,  eles moram na mesma rua, no mesmo bairro e cidade.

Esse casal viu muitas crianças nascerem, crescerem e também morrerem  cedo por se envolverem com coisas erradas.

Murmúrios

nos murmúrios das estrelas está contido o amor

no novelo dos dias que vamos enrolando cuidadosamente

há uma atração fatal que se desenha

o fim do princípio

o meio de vários fins

há grandes encontros nas explosões de cor

o novelo enrola-se e não tem fim, a vida vai-se tecendo,

o que parecem pequenos bocados de fio, incoerência aparente

Pages