Surrealista

Escala a naberius

O silêncio predominou novamente
O riso esmaece em seu semblante
A vontade não permaneceu
 
Tomado, estava, a vontade inferior
Sabedoria inferior
Vidas inferiores
 
Caminhou o trecho,
planejado e corajoso
Corajoso e tomado
 
Caminhou, não em vão
Aos gritos, sussurros
Liberdade e prosperidade
 

Largo dali

Passou mais um dia onde até de tempo são feitas as lendas
A mais um padeiro que de manhã faz notáveis merendas
Mais um dia ao lado do nada que fica no largo dali.
 
Nesse nada de largo com casas sem tormentas
O cuco falso do relógio dá na parede umas horas lentas
A mais um relojoeiro que perdeu um parafuso pois vive no largo dali.
 
Passou mais um dia ao lado do nada que fica no largo dali
Já sem espera, sem gosto e desgosto, sem queixume ou ardume

VOU CONTAR UM POUCO DA MINHA HISTÓRIA

VOU CONTAR UM POUCO DA MINHA HISTÓRIA

Eu sou irmã de Madalena Cordeiro.

Tenho cinquenta e oito anos. Quando eu tinha dez anos, minha mãe mandava ela me levar todos os domingos na igreja para o Catecismo. Nós passávamos em frente uma casa e lá tinha um jovem de quinze anos. Minha irmã Madalena parava para conversar com ele.

E, ele era muito atentado!

Pegava uma porção de pedrinhas e jogava em mim. Eu ficava muito nervosa!

DEVER DE CASA DO MEU NETO

DESAFIO: CRIE VERSOS E RIMAS COM OS NOMES DAS PESSOAS QUE FAZEM PARTE DA SUA FAMÍLIA. ESCOLA "PARA  A VIDA" DE EDUCAÇÃO INFANTIL E ESINO FUNDAMENTAL-SESC-CARIACICA-ES

 

Minha mãe Cristiana,

é bondade e beleza,

dorme comigo na cama,

em mim não existe tristeza. 

           ****

Meu pai se chama Paulo,

todos chamam de Paulinho,

na Bíblia ele era Saulo,

Ó meu Deus quanto carinho.

            ****

Minha vó é Madalena,

essa vira  criança,

sobe no pula-pula sem pena,

a coluna é que balança.

Vidros

E com o passar do tempo

Vão se diluindo no descontento

Essas saudades de outrora.

São formas inflamáveis da aurora

Que nos vestem e nos lembram das horas

Tão curtas que passamos juntos.

 

Capitães errantes do mundo

Velejamos até a despedida

Diferentes de todas as outras.

É que no plano etéreo profundo

Existências se quebram - ardidas

Estilhaçando lembranças tolas.

 

ENTRE LÁGRIMAS E SORRISO

Lutar para vencer

Ah! Você sorri para não chorar.

Você brinca, você pula, faz os outros sorrirem.... mas, por dentro de você só  Deus sabe como está. Por dentro está uma angústia, uma tristeza profunda. Porém, você quer ser forte, ou, precisa ser forte a qualquer custo. Mesmo que isso te custa lágrimas, você precisa ser forte.

Lá naquele cantinho, que você tem em sua casa. O cantinho do seu particular com Deus.

Ah! Lá naquele cantinho, você se derrete como cera, como vela mediante o fogo.

A pair for the odd

Original composition in Portuguese-Brazil language “Um par para o ímpar”, tradition and edition English. Format edited in the Spanish, Portuguese-Brazil and English language, on the author's page Facebook. Due to lack of time the poems are no longer being versioned or rhymed, literal translation is being used. All rights reserved. 

Uno par para lo extraño (Español)

Original composición en el idioma portugués-Brasil “Um par para o ímpar”, traducción y edición Español. Formato editado en el Español, Portugués-Brasil e Inglés, en la página del autor. Debido a la falta de tiempo, los poemas ya no se versionan o riman, se está utilizando traducción literal. Todos los derechos reservados.

Pages