Surrealista

Múltiplo amor

Múltiplo amor

 

As ondas formam a matéria que se tornam duais.

O telescópio é verdadeiro e o microscópio também.

Pelo magnetismo do ato sexual organizam-se os chacras.

A matéria ao ser analisada de longe é onda; e a onda ao ser analisada de perto é matéria.

As uvas são azuis.

O homem é uma mistura de medo e prazer

Proteger a matéria e multiplicá-la. Proteger para sempre e multiplicá-la quando for solicitado.

Trabalhar para proteger; para multiplicar. O amor é mais que dois.

 

Múltiplo amor

Múltiplo amor

 

As ondas formam a matéria que se tornam duais.

O telescópio é verdadeiro e o microscópio também.

Pelo magnetismo do ato sexual organizam-se os chacras.

A matéria ao ser analisada de longe é onda; e a onda ao ser analisada de perto é matéria.

As uvas são azuis.

O homem é uma mistura de medo e prazer

Proteger a matéria e multiplicá-la. Proteger para sempre e multiplicá-la quando for solicitado.

Trabalhar para proteger; para multiplicar. O amor é mais que dois.

 

Deve Servir

Encosto com recompensa
Aberto sem recompensa
Relvas a correr com o vento
Sujo da terra em excremento
 
O Bicho da conta ao quadrado
Em árvore de planta de chá
Demasiado ocupado
No som do Um-dó-li-tá
 
Carrapato sentado
Nas raízes do relvado

UM PÁSSARO NA GAIOLA

 

UM PÁSSARO NA GAIOLA

Um pássaro preso,

Não têm ânimo para cantar.

Grilhões do inferno o prenderam,

Fez o desanimar;

Quando ele abre o bico,

Sente-se de fechar.

Uma pessoa também presa,

Não têm ânimo para falar;

Quando abre a boca,

Alguém manda fechar.

-"Fecha tua boca,

Não é hora de falar"!

Se o pássaro fosse solto,

Qual a palavra certa para o animar?

-"Canta! - Agora você está solto pode cantar"!

E se a pessoa fosse solta...

Qual seria a forma de a animar?

Casamento poético

"CASAMENTO POÉTICO"

Casei palavras
com sentimentos,
consentimento
do Amor que anseio.

Lancei o
laço
e obtive o enlace
do enleio,
que abraço.
Como lei.

Nasci poeta
e logo morri,
pois ri
antes de viver...

Renasci,
ao ousar
vir ver
dentro do meu ser,
o mar.

Casei
o oceano das emoções,
com as palavras
em Monções
de brisas perfumadas...

Eu cá sei
o que passei
para tornar tudo,
os nadas!...

Quadras de S.João

Sou manjerico de papel,
Mas se eu fosse o S.João
Não só seria o manjerico
Mas também seria balão
 
O manjerico é um amigo
E quem dera ao S. João
Ser a planta manjerico
Em semente de Verão
 
Sou manjerico arbustivo
Bicho-da-conta num mato
Dou folhas de manjerico
Na terra d´um carrapato
 
Manjericos em fileira
Fiesta nos cantos de um quintal

Paraíso

Paraíso

 

Amor - Rio

de corrente e raso -

De águas cristalinas,

por entre pedras preciosas,

flutuam flores perfumadas.

 

Indo a um mar onde as

ilhas e terras paradisíacas,

coexistem em harmonia.

 

Vem, entremos nesse rio,

e sigamos a sua direção 

e sentido naturais,

afim de alcançarmos

essas ilhas e terras:

Da eterna perfeição.

 

Sérgio Accioly

visitem meu blog: http://canto-e.blogspot.com.br/

 

Fugae (vôo)

Fugae (vôo)

 

Crescente pensamento

através do que é mortal,

efêmero, flutuante...

 

Abertura de asas e voando,

testemunhando palavras,

frases, orações...

 

Escrevo tudo em

regras gramaticais,

e, em seguida:

Eis poesia gratificante.

 

Sérgio Accioly

visitem meu blog: http://canto-e.blogspot.com.br/ 

Pages