ARANDELA

 

 

ARANDELA

 

Ando por ai e tudo me remete a você,

vi numa loja uma Arandela Japonesa,

e lembrei que não consegui,

te fazer essa surpresa,

e te acarinhar com uma sobre seu leito.

 

Aquele mesmo leito que por um tempo,

convivi com você, em que nele,

além de dormir, lemos livros, conversamos,

nos acarinhamos, e tantas vezes gritei seu nome.

 

E apesar da minha idade, na minha ingenuidade,

me imaginei com você por toda a eternidade,

mal sabia eu, que na verdade,

eu estava ali só de passagem,

para satisfazer apenas, um plano seu,

para almejar através de mim,

uma trama que enfim,

você conquistou.

 

A Arandela seria mais um rastro,

dos tantos que deixei,

mas que, claro, já não sei,

se você ainda os conservou,

ou sabe se lá que fim levou.

 

Rastros que deixei de livre arbítrio,

pois não era outro o meu intuito,

de com eles te acarinhar,

pois é esse meu jeito de te Amar,

coloco essa frase no presente,

pois sei que apesar de estar

sendo indulgente, mais que isto,

estou sendo coerente,

com o meu sentimento por você

que é o mais premente.

 

Mas ficaram os Rastros que deixei,

e também sei o quanto te magoei,

e no tanto que errei,

mas foi uma luta que tentei,

luta minha inglória,

pois na dura verdade da nossa relação,

foi só eu que te Amei.

 

Marco A. Tisi

( 12/02/2013 )

 

 

Género: 
Você votou 'Gosto'.