Perseverança do dia. Caso 08.

P.D. Caso 8.
 
A garota cochilava encolhida em posição fetal. Sua idade, universitária, superava a exaustão de sua dívida com o mundo. O sorriso que nunca deixava o rosto, o canto encurvado da boca, eterno. Uma expressão de leveza constante que nunca mudava, regida pela sua permanência.
Retomou o controle das pálpebras, sussurrou sobre o incomodo da claridade, àquela ideia que dissertava em função do desenvolvimento de suas características de semi-vigília, predadora.
Entre o sofrimento e o devaneio, tenho um argumento. Tem curiosidade de ouvir minha dor, oferecer compaixão? Pois divino é o fundamento da consciência. Coloque uma estátua em um lugar elevado e ela será louvada. Aquilo que é aquilo que é, deve ser aquilo que é, seja aquilo que deve ser e não aquilo que não deve. O desejo de ser te prenderá ao solo, mas o dever guiará seus olhos para o horizonte. O dever é o desejo livre de si mesmo, livre de si mesmo é o dever. Não eleve uma estátua e não deixe ser elevado como uma.
Entendo, quer intermediar o espetáculo? Especulo, portanto, uma função de fio condutor que resgate a leitura. O puramente nominal pode ser compelido pelo puramente perceptivo, linguístico em sua apreensão complexa, mas comunicado pelo movimento cognitivo da razão, aquela que nomeia para ser razão; com a semântica como a regra lógica que organiza o processo do talvez, um todo que ainda mantém uma irredutibilidade dedutível.
Não sinto um corpo meu, o pulverizado volume submisso à superioridade da vontade da selva, mas confluo com a imanência da existência, esse pensamento genérico e degenerado da cultura. Sim, não pode ser, e mesmo quando pode, não é. Essa é uma consequência possível de uma irredutibilidade dedutível. E é nesses vãos linguísticos-epistêmicos que as determinações ontológicas se abstraem em razão. Essa é uma trilha dentre as trilhas, um caminho dos descaminhos. Porém, lhe vendo o valor se quiser comprá-lo, pode pagar com o débito social. Para calcular a coerência inexorável dessa dinâmica, não subestime a hostilidade no compromisso do credo.
Em benefício deste contrato de cipós onde habita a traição, a fome e o castigo, e por cólera descarrega a ira e o dano que protege a vingança. Sente prazer? Privilégio? Ressentimento nesta troca de dominantes com resultados humanos.
Às vezes, é mesmo. A graça disso será voltar atrás nas demarcações, nas escalas e nos recortes. Pois isso, a volta, também será algo que sempre foi; e se voltar for uma nova espécie de demarcação, é só voltar um pouco mais. A graça será que esse voltar será o mesmo que seguir em frente pelo avesso. O processo civilizatório tingindo de moral e boa vontade, reprimindo os pulsos em carência de sentido. Mas esse pessimismo terrível, incrível, a medida de todas as coisas, é nosso vinculo.

 

Género: