um palácio transcendental

a cadência do sonho perpetua-se em versos que suplantam a estrutura do ócio para ingressarem num paraíso esfregado nas tentações; a miragem intensifica-se através dos feitiços do poeta que regurgita a sua liberdade enlaçando-a depois nos rochedos da sua solidão.

Género: