um palácio transcendental

intento consumir as minhas angústias num matagal que me transmita as divergências do mundo; musicar a superfluidade vertida em fervores que eu vá transformando em pensamentos; debruçar-me sobre as minhas humilhações para que a harmonia possa enfim  sobrevir.

Género: