um palácio transcendental

deixo que as palavras sintonizem a minha existência para que observem as suas angústias vociferadas; deixo que sacudam a toada do quotidiano para exaltarem as suas áleas fustigadas; deixo que evolucionem como alicerces genuínos das minhas veredas imaginadas.

Género: