Dedicado

A Fábula de Bolama

Em memória do meu irmão que partiu....
 
QUANDO NO VAZIO DA VIDA
ME CONTASTE AS TUAS MÁGOAS
SÓ SENTI
EM MEU CORPO
E NAS VEIAS ARDENDO 
O CALOR TÓRRIDO 
DE TUAS ENCOSTAS 
CASTIGADAS PELA MARESIA SALINA 
DOS TEUS SELETOS BEIJOS
E NUMA ÂNSIA PLENA
CONTIGO FICO INSUSPEITO
NAS MINHAS FÁBULAS E DESEJOS
CANTAROLANDO FELIZ 
A IMENSA PAZ
DA MINHA ALMA VADIA REENCONTRADA

Mariana

Mariana andava

Andava pela rua

Mariana olhava

Olhinhos de lua

Mariana sorria

Linda e toda nua

Seus olhos viam o presente

Seus ouvidos, ouviam o passado

Era sempre sorridente e amava frango assado.

Dom Quixote de La Mancha (English)

Poem in homage to the Gentleman of the Sad Figure and its creator Miguel de Cervantes.

English version of the Portuguese poem “Dom Quixote de La Mancha”, published by virtue of which it was edited, hindering direct translations, with the objective of preserving the intellectual property governed by the law of copyright, 9,610 / 98, last version in adhesion to the Stockholm treaty.

Dom Quixote de La Mancha (Español)

Poema en homenaje al Caballero de la Triste Figura y su creador Miguel de Cervantes.

Versión en idioma Español del poema en lengua portugués “Dom Quixote de La Mancha", publicado en virtud del cual fue editado, lo que dificulta las traducciones directas, con el objetivo de preservar la propiedad intelectual regulada por la ley de propiedad intelectual, 9.610 / 98, última versión en adhesión a El tratado de Estocolmo.

50 ANOS DE CRIAÇÃO LITERÁRIA DE UM EXTRAORDINÁRIO ESCRITOR

50 ANOS DE CRIAÇÃO LITERÁRIA DE UM EXTRAORDINÁRIO ESCRITOR

Estas linhas são uma simples e modesta homenagem a um escritor português, com grande obra publicada, embora muitas vezes injustamente esquecido. Estou a referir-me a Manuel da Silva Ramos, nascido em 1947 na Covilhã. Estudou Direito na Universidade de Lisboa e na “primavera marcelista” exilou-se em França, de onde só regressou em 1997.

PARÓCO DE ALDEIA E PROFESSOR

PARÓCO DE ALDEIA E PROFESSOR

Uma das vantagens com que podemos contar quando escrevemos um texto, ou quando falamos ou mesmo descrevemos actividades de pessoas reconhecidas, nos mais diversos sectores, é pertencemos à mesma região onde nascemos, crescemos, mas também aos conhecimentos pessoais, que vamos ganhando ao longo da vida.

Neste contexto, veio-me à memória o falecido e saudoso Padre Paulo Gomes da Costa Afonso, natural dos Foios (Sabugal), terras do planalto do Rio Coa, onde se situa a nascente deste rio.

Pages